quinta-feira, 14 de julho de 2011


A VIDA


A vida, esse dom precioso e divino, é ao mesmo tempo frágil e efêmera.
Frágil porque somos susceptíveis, não conseguimos driblar os entraves que abalam a fortaleza do nosso corpo.
Efêmera porque o tempo nos consome numa gradativa rapidez  que mal nos damos conta da quantidade de dias que se sucederam.
Entretanto é uma dádiva na forma de um livro. Tantas páginas ele possui, organizadas em blocos nos quais a existência se intensifica e ganha sentido. O livre arbítrio nos permite dia-a-dia ir preenchendo essas linhas e construindo passo a passo a própria história.
                                                                                                                                                            Zizi

Nenhum comentário: